Um blogger comprometido com a Palavra de Deus simples como Ela É, e assim, dessa forma ela é Revelada aos simples. Quem complica para pregar a Palavra quer aparecer mais que Ela, quando a Palavra de Deus, Jesus Cristo e sua ordem de pregar o Evangelho devem ser as únicas coisas importantes para seus servos.

João 3:30

É necessário que ele cresça e que eu diminua.

Páginas

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

O mercado das ofertas


           Você já parou para pensar no verdadeiro significado da oferta? Nos dias de hoje, assim como no início da igreja, não igreja como placas ou instituição religiosa dessas que competem entre si por um mercado que cresce a cada dia, o mercado dos mantenedores da obra, os ofertantes, mas igreja como um povo que tinha tudo em comum, principalmente um Deus, um Senhor ao qual serviam e obedeciam sem distorcer para o povo os Escritos que existiam naquela época. Assim como naquela época o significado da oferta era um ato de desprendimento de coisas materiais e uma forma de demonstração de amor ao próximo, uma vez que suas ofertas mantinham quem pregava a Palavra de Salvação.

            Houve também uma época antes dessa em que oferta era instrumento de adoração ou expiatória, ou seja, uma época em que ela era realmente para Deus, para louvor a Ele. Época em que aqueles que administravam a obra estavam preocupados se Deus ia se agradar de sua oferta, a ponto de não aceitarem ofertas se viesse de alguém que não agradasse a Deus, afinal se o objetivo da oferta estava mais no desprendimento daquilo que se ofertava, porque aceitar algo em que o valor não estava no objeto e sim na intenção de ofertar?

            Existe uma pregação muito comum nos dias de hoje e a mais comum delas é que você tem que dar o seu melhor, não importa a sua intenção, como você ganhou o dinheiro não importa, o importante é ofertar. Aí surge então uma classe que distorce tudo que um dia foi vivido de fato, tudo que foi ensinado. Criam uma taxa de dez por cento em que você paga e fica livre de pragas e gafanhotos e ainda têm direito a bênçãos sem medidas. Muito barata essa taxa para tudo que um Deus poderoso tem para nos dar e que um dia nos deu Seu próprio Filho para morrer por nos na cruz e nos livrar de toda uma carga de uma pesada lei escrita em pesadas tábuas de pedras as quais eles só pregam a parte conveniente, e esquecemos que por causa do pagamento dessa taxa anulamos inconscientemente o sacrifício de Jesus na cruz, afinal é melhor pagar a taxa para não ser destruído do que viver uma vida de retidão e amor que requer esforço e abdicação. Essa pregação que existe fala sobre dois irmãos; Caim e Abel. Ambos em um dia foram levar suas ofertas e apresenta las a Deus, no entanto, como dizem os “pregadores”, Deus se agradou de Abel pois ele deu a oferta das primícias, enquanto Caim não. O texto é bem claro quando diz: Gênesis 4:3-7 - E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. 4 - E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta. 5 - Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante. 6 - E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? 7 - Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar.

            A Palavra de Deus é muito clara quando diz o motivo pelo qual Deus não aceitou a oferta de Caim, não foi por causa do valor, nem porque não foi animal para sacrifício ou sua oferta veio da terra que outrora fora amaldiçoada por Deus, não foi aceita porque foi feita em pecado, observe: “Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar.”.

            Você não precisa dar o melhor que tem, você não precisa dar tudo o que tem, você precisa ofertar com alegria e então os famosos dez por cento serão pouco para quem quer contribuir com alegria e sem obrigação, fazendo isso apenas por amor. Como disse o apostolo Paulo: II Corintios 9:7 - Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.

            Essa é a Palavra, que não seja por tristeza, ou porque precisa de um favor ou porque foi ameaçado ou constrangido, mas sim pelo simples fato de saber que Deus se sente feliz em saber que nos desprendemos de algo em favor do próximo.

            Não fique triste se as igrejas hoje não fazem bom uso dos recursos arrecadados através da boa fé ou ignorância de muitos, pregando a palavra da conveniência. Um dia o Senhor, Justo Juiz, julgará o coração de todos e aqueles que fizeram de sua casa um mercado e viveram da obra e não para ela, terão que responder pelas almas que foram perdidas pela falta de cuidado enquanto eles viviam felizes com a oferta que era para Deus e não para homens.



Paz seja com todos!



Pipa Couto

Nenhum comentário:

Postar um comentário